Monthly Archives: Junho 2013

O MIRANTE distinguido pelo segundo ano com o Estatuto de PME Líder

25665

A empresa proprietária de O MIRANTE recebeu pelo segundo ano consecutivo o Estatuto de PME Líder, que distingue empresas nacionais com perfis de desempenho superiores. A informação chegou à administração do jornal esta quinta-feira. “É com imenso prazer que felicitamos a vossa Empresa pela renovação em 2013 do Estatuto de PME Líder”, refere a carta assinada pelo Presidente do Conselho Directivo do IAPMEI, Luís Filipe Costa.

O PME Líder é atribuído no âmbito do Programa FINCRESCE do IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação) numa parceria com a Banca visando reforçar a visibilidade das empresas de dimensão intermédia que integram o segmento mais competitivo da economia nacional. Este estatuto funciona “como selo de reputação e estímulo no prosseguimento de dinâmicas empresariais, que contribuam de forma sustentável para a criação de riqueza e bem-estar social”, refere a carta do IAPMEI.

Recorde-se que a empresa proprietária de O MIRANTE (Joaquim António Emídio e Maria de Fátima Emídio) tinha recebido no ano passado a comunicação da atribuição do Estatuto de PME Líder 2012 a 16 de Novembro, dia em que o jornal assinalou os 25 anos da saída da sua primeira edição. O que constituiu também um prémio pelo quarto de século de trabalho em prol de uma região e de reconhecimento pelo crescimento constante de um jornal regional que é o maior do país.

O MIRANTE passou de pequeno mensário com sede na Chamusca a maior jornal regional português, sendo dos que figura na lista de jornais com maior circulação nacional logo a seguir aos maiores jornais do país. O jornal, com redacções em Santarém e em Vila Franca de Xira, emprega três dezenas de pessoas e é distribuído também com o semanário Expresso na região desde Outubro de 2007.

É um jornal especializado em informação regional que tem duas edições semanais em papel, uma para o norte do distrito de Santarém e outra para o Sul do distrito e norte do Distrito de Lisboa. Tem um diário online com dezenas de conteúdos por dia e actualizações permanentes. No ano passado o diário em www.omirante.pt registou cerca de 2,7 milhões de visitas que correspondem a 3.525.865 visualizações de páginas, segundo os dados estatísticos da Google. Esta ano, desde 1 de Janeiro e até 20 de Junho, o site já conta com cerca de 1,6 milhões de visitantes.

Desde Março de 2007 o site do jornal integra vídeos informativos que também estão disponíveis no portal videos.sapo.pt. O MIRANTE foi distinguido também pelo Clube de Jornalistas com o Prémio Gazeta Imprensa Regional relativo a 2007.

Anualmente o jornal premeia as pessoas e instituições que se distinguem na região em várias áreas, como o Desporto, Cultura, Política, Vida, Cidadania, com e “Prémio Personalidade do Ano” que teve a primeira edição em 2005. O trabalho das empresas e dos empresários também é reconhecido todos os anos com o “Galardão Empresa do Ano” numa parceria com a Nersant – Associação Empresarial da Região de Santarém.

Anúncios

Autarcas estreiam-se a dar sangue em recolha de O MIRANTE

PAG-32---recolha-de-sangue-1PAG-32---recolha-de-sangue-2

 

 

 

 

Trinta e uma pessoas responderam ao apelo de O MIRANTE e deram sangue na manhã de quinta-feira, 13 de Junho, nas instalações do jornal em Santarém, numa iniciativa que contou com a colaboração do Grupo de Dadores de Sangue de Pernes e do Instituto Português do Sangue. Alguns dos dadores fizeram-no pela primeira vez, como a presidente da Câmara de Rio Maior e o presidente da Câmara de Alpiarça, que venceram o medo das agulhas em nome de uma causa solidária. Entre figuras públicas e cidadãos menos conhecidos houve um propósito comum: contribuir para ajudar a salvar vidas. 

Foi a doença do pai que levou Ilídio Lopes, 47 anos, director da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Santarém (ESGTS), a dar sangue pela primeira vez, já lá vão 4 anos e meio. “Até aí não tinha tomado muita consciência da importância de dar sangue. Hoje assumo esse acto como um dever de cidadania”. Tudo mudou após ter sido diagnosticada uma leucemia ao pai e pelo contacto directo que teve com essa nova realidade. “Nessa altura apercebi-me da importância da dádiva de sangue para esses doentes e passei a ver as coisas de forma diferente”.
Desde aí tornou-se dador regular, contribuindo duas a três vezes por ano. Habitualmente dá sangue no Hospital de São José, em Lisboa, mas na quinta-feira, 13 de Junho, foi o primeiro a participar na recolha de sangue que O MIRANTE promove anualmente nas suas instalações em Santarém, em conjunto com o Grupo de Dadores de Sangue de Pernes. “A dádiva de sangue é um dever de cidadania”, diz, exortando as pessoas a contribuírem e enaltecendo iniciativas como aquela em que participou nessa manhã.

Medo de agulhas ultrapassado pela vontade de contribuir
A manhã de quinta-feira fica na história para a presidente da Câmara de Rio Maior, Isaura Morais, que deu sangue pela primeira vez na sua vida e promete não ficar por aí. Algo nervosa antes de ser entregue aos cuidados do enfermeiro Francisco, a autarca refere que esta é uma questão para a qual é sensível já há muitos anos, pois acompanhou de perto a grave doença que atingiu o seu falecido marido. Na altura quis dar sangue, mas o seu reduzido peso não lhe permitiu. Pesava apenas 35 quilos. Agora, já dentro dos limites de peso exigido aos dadores, Isaura Morais decidiu aderir à causa. Até porque alguma fobia a agulhas não é superior à vontade de poder contribuir, realça. E tudo correu bem.
Outro autarca, Mário Pereira, presidente da Câmara de Alpiarça, também conseguiu contornar o medo de agulhas e foi outra das figuras públicas da região que se estreou na iniciativa de O MIRANTE e do Grupo de Dadores de Sangue de Pernes. “Alguma vez teria de ser a primeira e foi a forma de responder ao convite de O MIRANTE. Com certeza que será a primeira de várias outras”. A experiência não aconteceu antes, diz, porque se considera “muito sensível à questão das agulhas”, mas acredita que a “provação” que o esperava nessa manhã seria ultrapassada. Como foi.
O autarca de Alpiarça deixou ainda um apelo às pessoas para aderirem às campanhas de recolha de sangue, “em defesa da vida dos nossos concidadãos”, e elogiou o trabalho voluntário e altruísta das associações de dadores, apelando aos alpiarcenses que se associem ao grupo de dadores do concelho “que tem tido uma actividade extremamente meritória”.

“Dar sangue é um dever cívico”
Outro estreante nessa manhã foi Luíz José, 51 anos, empresário da Golegã que decidiu responder ao apelo de O MIRANTE. “Decidi experimentar. Não foi nada do outro mundo, nunca tinha dado sangue porque nunca tinha calhado, não tenho problemas nenhuns com agulhas e o meu falecido pai até era um acérrimo dador de sangue. Calhou hoje e será para continuar”, diz o dono da Tecnigol, exortando as pessoas que nunca deram sangue a fazerem-no. “Mais vale tarde do que nunca e hoje por eles, amanhã por nós”.
Foi também através de O MIRANTE que Carlos Catalão, presidente da Associação de Jovens do Ribatejo, deu sangue pela primeira vez, já lá vão cerca de 10 anos. Hoje já tem o estatuto de veterano nessas andanças. O ex-chefe de gabinete do Governo Civil de Santarém e ex-autarca do PS na Assembleia Municipal de Santarém diz que esta é uma causa nobre a que ninguém deve ficar indiferente. “Esta é uma excelente iniciativa. O ano passado, como tinha partido um pé, não pude vir. Este ano, como as coisas estão normais, não podia deixar de me associar”.
Francisco Madeira Lopes, advogado e eleito da Assembleia Municipal de Santarém, é um dador ocasional, a pedido ou quando a agenda lhe permite, como foi o caso dessa manhã, em que passou pelas instalações de O MIRANTE antes de partir para uma audiência no tribunal da cidade. “É importante as pessoas participarem neste tipo de iniciativas, porque o plasma e o sangue são bens fundamentais que por vezes há dificuldade em obter. Dar sangue é um dever cívico e de solidariedade com o próximo”, afirma o também candidato da CDU à Câmara de Santarém.
Mas nem só de figuras públicas se fez a campanha. Aliás, a adesão dos chamados cidadãos anónimos tem sido fulcral. Madalena Jacinto, 21 anos, estudante, residente em Santarém, dá sangue pela terceira vez. A sua estreia foi na escola básica de São Domingos, numa campanha para ajudar uma criança vítima de leucemia. O drama alheio fê-la tornar-se dadora. Com a sua presença demonstrou que os jovens também são sensíveis a este tipo de causas e que o espírito solidário não tem idade.

Recolha de sangue na sede de O MIRANTE é na quinta-feira, dia 13

A recolha de sangue que O MIRANTE organiza anualmente nas suas instalações de Santarém, em parceria com o Grupo de Dadores de Sangue de Pernes e o Instituto Português do Sangue, decorre na quinta-feira, dia 13 de Junho, a partir das 9 horas da manhã. Como também já vem sendo habitual, associam-se a esta iniciativa os funcionários do tribunal e da Segurança Social de Santarém.

Além dos funcionários do jornal, podem participar todos os que, num acto generoso e de solidariedade, queiram contribuir para ajudar a salvar vidas. Basta para isso comparecerem nas instalações do jornal, no antigo colégio Braamcamp Freire, na rua 31 de Janeiro nº 22, frente ao Jardim da República.

Apesar de ano para ano, se multiplicarem as iniciativas de recolha de sangue, O MIRANTE espera conseguir, pelo menos, meia centena de dádivas, número que conseguimos atingir em 2009. Para fazer a recolha vão estar nas instalações do jornal os técnicos do Centro Regional de Sangue do Instituto Português do Sangue que vão instalar um espaço de recolha e um posto médico, no qual está garantida a confidencialidade e privacidade dos dadores.

Continuamos a marcar a recolha anual de sangue de O MIRANTE para um dia de semana por pensarmos que é mais vantajoso e que potencia a captação de novos dadores. Com o aproximar das férias de Verão, esta é a altura mais crítica, em que começa a haver mais necessidade de sangue nos hospitais e daí a data escolhida. Quem quiser dar sangue pode tomar, como habitualmente, o seu pequeno-almoço. Após ser feita a recolha, ser-lhe-á oferecido um reforço alimentar.